Marketing tiki-taka: a importância da inteligência colectiva

As Tendências de Mudança do Consumidor, apresentadas no âmbito do Projecto C no passado dia 12 de Setembro, apesar de apontarem um futuro complexo e diferente, sublinham a oportunidade subjacente ao facto de nunca termos vivido nenhum tempo na História em que os indivíduos tivessem tantos meios e formas de expressão e de manifestação.

O aumento da complexidade é o grande desafio para as empresas e para as equipas de Marketing, que deverão assumir o papel de orquestradoras desta informação e de líderes no desenho de soluções em ciclos de tempo cada vez mais curtos.

Este objectivo implica reinvenção do seio da maior parte das organizações, que ainda continuam a tentar mais do mesmo.

A propósito disto, usou-se o paralelismo com a estratégia vencedora de jogar futebol, comprovada no Mundial do Brasil, e que a Harvard Business Review referiu também num artigo recente – o futebol tiki-taka.

O futebol tiki-taka é um novo estilo de futebol que vem trazer grande inovação ao jogo; dantes a vitória dependia muito de um grande jogador ou de um passe oportuno que acabava em golo. No futebol tiki-taka não há posições estanques; todos os jogadores podem atacar ou defender, e estão constantemente a trocar de bola e a mudar de posição. Isto significa que os melhores ataques passam a ser uma série de passes executados por tantos jogadores e tão depressa que os defesas se dispersam. Há quem compare esta inteligência de jogo à “inteligência de enxame”, ou seja, improvisam, interagem intimamente e tomam decisões colectivas, deixando pouco espaço para esforços individuais. Só o ataque colectivo consegue ganhar a defesas que são cada vez mais rápidas e complexas.

No ambiente de complexidade em que se movem as empresas o sucesso depende cada vez mais da sua capacidade de incorporar a inteligência colectiva de que dispõem, ou seja, as decisões têm que deixar de depender de um gestor que está no topo da cadeia e passar a implicar cada vez mais colaboradores. Isto significa que há mais pessoas a recolher informação, mais interacção e mais cabeças a pensar em soluções.

“if brands want to do something new, they have to stop doing something old”  já dizia Peter Drucker!

Step forward, a afirmação de uma nova etapa da Return on Ideas

Com a convicção de que os tempos actuais exigem um novo olhar sobre a realidade, temos vindo a pautar a nossa actuação nos últimos anos por um investimento profundo no desenvolvimento de competências e ferramentas na área do conhecimento de clientes, consumidores e mercados.

A face mais visível dessa aposta é o C-The Consumer Intelligence Lab, projecto fundado em 2009 e que, juntamente com outros projectos de insight que entretanto fomos desenvolvendo para múltiplos clientes, nos colocou numa posição privilegiada de proximidade ao real, às pessoas, ao pulsar de uma sociedade que, em particular nos últimos anos, viveu profundas mudanças.

O momento actual é de afirmação formal deste posicionamento no cruzamento entre o conhecimento e a consultoria estratégica. É onde sentimos que faz sentido estarmos, é nesse espaço que acreditamos poder ser mais úteis aos nossos clientes e, no final, contribuir de alguma forma para este pequeno grande país que é o nosso.

Este Step Forward, figurado no polvo pelo dotadíssimo Duarte Lázaro, ilustrador que nos acompanhou neste processo, será dado com o crescimento da empresa em várias frentes: um tentáculo no conhecimento das micro, pequenas e médias empresas em Portugal, um tentáculo em Angola, com o nosso Observatório já em marcha, um tentáculo em Espanha, com a extensão da nossa investigação Tendências de Mudança e um tentáculo cada vez mais armado na área do Big Data, onde não paramos de ser desafiados a ir mais além.

É este crescimento, em torno do qual estamos mais do que nunca unidos, que festejamos. Este é o futuro em que acreditamos para a empresa e para cada um de nós.

Nada disto teria sido possível sem os nossos clientes e parceiros mais próximos que acreditaram e confiaram no nosso trabalho e competência.

Para eles, um grande bem-haja.

1 2 3